quinta-feira, 2 de julho de 2009

Brasil 3x2 EUA

Esse é um post difícil. A principal questão é que Spike fala mal sobre futebol, mas surpreendentemente, concordei com as considerações gerais. Acho isso estranho porque todos os esportes americanos e ingleses(com exceção do futebol que era um esporte de operários e camponeses antes de ser abraçado pela nobreza), todos eles, são complicados de entender. Foram feitos para pobre não entender mesmo. O próprio basquete tem muitas sutilezas e não entendo patavina do que o árbitro está marcando com um monte de gestos... tenho de esperar o locutor traduzir! Com o futebol é o contrário... raramente erro hehe, brigo com os comentaristas que nada sabem e costumeiramente as imagens demonstram meu farto conhecimento de causa futebolística kkk.

Mas vamos para de confetes sobre mim... afinal, eu não estou com essa bola toda!!!

Spike, para variar, em inglês(Santa ignorância minha!), assumiu uma tônica infantil. Representada pela famosa frase infantil quando não consegue o que quer:
- Também, eu nem queria mesmo!

Ele começa e termina dizendo que os brasileiros são muito melhores "in soccer" e por isso mesmo não é desonra perder para o Brasil. Senti um iceberg de inveja nisso. E destaca a excelente defesa dos norte americanos, os contra ataques envolventes e a "objectivity" com que seu time se postou no jogo. Disse que eles "won the first time and lost the second time", mas que eles jogaram melhor no geral(aí eu achei um exagero, o Brasil jogou melhor e cansou de perder chances).

Quando perguntei sobre o gol do Kaká, mal anulado, Spike limitou-se a afirmar "good things happen to whoever is responsible"... não sei bem o que ele quis diser, mas achei deboche... há safado!

Meu fanfarão amigo estadunidense, falou outra coisa absurdamente correta... a lentidão que a Seleção Brasileira jogou foi de dar nos nervos, nossos contra-ataques chegaram séculos após a retomada de bola. Já os EUA eram lépidos e fagueiros. A imagem que faço(meu amor faz) da velocidade do time do Dunga é a de uma "tartaruga com apendicite"... quase parando! Os adversários pareciam aquele esquilo hiperativo do desenho "Os Sem Floresta".

Em suma tirando os palavrões Spike afirmou que mesmo assim merecemos ganhar, bem ao estilo do pragmatismo de sua cultura. O importante é o resultado.

O que eu ví foi um time com vontade mas lento, uma escalação errada e gols desperdiçados aos montes... bom goleiro o deles... mas a fragilidade do adversário foi notória. Fizemos um gol de "centro avante" típico... no modelo do "virou bateu". Depois outro uma sobra de mais um gol perdido. E um terceiro, gol improvável, de "corner" já próximo do fim do jogo. Um time rápido não levaria dois gols deles e muito menos sufoco... era jogo para 5x0.

Eu, cá com minhas tampinhas(nada de botões, isso é para o amigo Fábio, que consegue a proeza de ser o último colocado no campeonato de futebol de botão, ano após ano), acho que o Dunga... tem uma sorte imensa!

É CAMPEÃO!!!

4 comentários:

Borboletas nos Olhos disse...

Time lento e eu rápida e constante:Fora, Dunga!

Ah, seu amigo Spike parece entender de futebol só um pouco menos que você (e muito menos ue eu, heheheh) se ele ainda acredita que neste esporte o importante é o resultado...Diga a ele que amantes do futebol do mundo todo elegeram a melhor seleção de todos os tempos: a nossa de 82. E nós não "ganhamos" nada. Ah, ganhamos: admiração, respeito, devoção. Eu prefiro jogar bem...

Liana disse...

Em defesa do meu amado, ele nunca mais foi último lugar no "esporte" citado. Inclusive, ele tem vários troféus de campeão (e alguns de vice, mas é melhor eu não fazer piada a respeito)...

Adorei a tartaruga com apendicite, no lugar de perturbar seus amigos além-mar, bota a Adry para comentar os jogos da eliminatória...

Contra a Maré disse...

Boa idéia Liana... Grande idéia! Adry, Qualy e Tuts... três comentaristas de mão cheia.

Borboletas nos Olhos disse...

Ei, diz à sua mulher que estou com saudade dela...diz pra ela me ler pelo menos (claro, comentar, se não eu não sei que ela leu e não faz efeito.