terça-feira, 9 de junho de 2009

Funcionalismo Público no Brasil (part1/3)

Em três posts vou "tentar refletir" sobre o Funcionalismo Público no Brasil. Muitas perguntas relacionadas são pertinentes, tais como: Onde surgiu a idéia que funcionário público é autoridade? Onde foi abandonada a compreensão de Servidor Público? Onde foi sepultada a eficiência pública? Ela(eficiência) já existiu, ou é uma Lenda Urbana? São todos incompetentes? E Tem jeito?!?

Primeiramente, contar um causo.

Reza a "lenda" que a 7 de março de 1808, aportou no Rio de Janeiro a frota que trazia a Coroa Portuguesa e sua corte. A "lenda" não destaca, que parte significativa do séquito de Don João VI era composta pelo funcionalismo público lusitano. Eram escriturários, guarda livros, bibliotecários e "serviçais" de toda sorte.

Uma vez no Rio a comitiva desalojou grande parte das famílias fluminenses de suas casas. E muitos prédios mudaram de utilidade e uma miríade de obras começaram a ser feitas. Afinal, já que a Corte teria de ficar no Brasil, deveria pelo menos ter uma cidade habitável para morar.

Voltando aos funcionários públicos. Estes, que em terra natal nada eram além de empregados do estado(não há dúvida que era uma boa colocação, porém..), foram catapultados aos píncaros da "hierarquia simbólica" aos olhos do povo. Traduzindo, viraram autoridade. Passaram a ter importância, como vias de exceção no acesso ao estado. Numa terra onde falava-se a "língua geral", o analfabetismo era a regra, não havia ordem social clara e a viviam numa cidade imunda... receber o Rei era algo magnânimo.

Claro que os funcionários da coroa na Europa sempre tiveram valor, mas no Brasil, esse valor foi em muitas vezes ampliado.

3 comentários:

Borboletas nos Olhos disse...

Vai doer em mim? Devo passar uma semana sem visitar seu blog, eu que venho de hora em hora? rsrsrsrs

Contra a Maré disse...

Não, nunca!!! rsrsrsrs
kkkkk

Liana disse...

ele vai terminar o terceiro post da série falando mal dos funcionários públicos que passam muito tempo na internet, blogando compulsivamente...