sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Honduras na mesma moeda!!!

Eu entendo a dificuldade de entendimento sobre os processos culturais de desenvolvimento das nações e dos povos. Eu acredito que tenho umas pistas mas todo dia acrescento novas reflexões.

A maior parte da América Latina, a meu ver, está politicamente num patamar muito recente de democracia. Acho que estão comparativamente onde estávamos (Brasil) na década de 80. Muita emoção, muito desejo, muita fantasia e uma fé transbordante de que as coisas "vão melhorar" ou que "precisam melhorar" e o tempo de melhorar "é agora" por cima de "pau e pedra".

Na segunda metade da década de 80, com o início da reabertura política, o então Presidente Sarney mobilizou corações e mentes, arquitetou planos econômicos mirabolantes e implantou uma vintena de medidas tão sólidas quanto massa de modelar. Não é uma crítica que faço, mas uma relação direta com a sensação de euforia do país frente a mudança. Naquele tempo o povo fechava super-mercado, se sentia cidadão depois de muitos anos e estavam prontos a colaborar com o que pudesse.

Hoje, na América Latina vemos esse mesmo sentimento por todo lado. As pessoas estão prontas para receber o processo democrático, de mudança e cidadania. Assim como nós, que tropeçamos com o Collor e de lá para cá ainda estamos aprendendo, vemos populistas travestidos de "democratas" ambicionarem serem o "Pai da Pátria"!. Nessa categoria estão todos os proto-deuses como Hugo Cháves, Evo Morales e mais recentemente Lugo e Rafael Corrêa tem tentado entrar na clube. Esse pessoal, que apesar de representar boas mudanças cotidianas na vida das populações mais carentes de seus países tentam claramente consolidar seu poder e eternizar-se no comando de suas nações. Contudo, isso é feito sob uma capa mal costurada de democracia, elegendo um alvo mítico (imperialista) para combater e justificar a reeleição eterna. E se não vai na eleição vai a força. Hugo Chaves, por exemplo, debutou na "política" tentando um golpe de estado que deu errado. Todos eles tentam mudar a constituição na marra para beneficiar a interesses dos "salvadores do povo".

Em Honduras vemos claramente uma situação clássica do "sujo falando do mal lavado". Apesar de muita gente inclusive na imprensa apresentar os fatos beneficiando um ou outro expoente, a realidade é que ninguém está certo nessa brincadeira. E é vergonhosa nossa posição de apoio tendencioso a todos esses pseudo ditadores, incluindo o Zelaya!

O caso Honduras é simples; Manuel Zelaya(fotos com bigodão) é Presidente Eleito, porém ele, inspirado nos "Hugo Morales da vida" tentou mudar a constituição para permitir eleições eternas. O primeiro problema foi que ele não conseguiu apoio político suficiente e marcou um plebiscito para conseguir o objetivo. Ia tudo bem até que a Suprema Corte deles disse: "EPA!!!! NUM PODE RAPÁ!!!". E foi aí que o "bunitão" disse(embaixo daquele chapéu de cowboy): "VOU FAZER PORQUE EU QUERO!!!". Quando ele marcou o plebiscito a revelia da Justiça o Exército Hondurenho fez, esse sim, o que a Constituição manda fazer, Proteger a Constituição e a Democracia, e tentou "botar moral". Só que aí ocorre o outro problema, a intervenção do exército transformou-se num pequeno golpe (usando a mesma capa esfarrapada e puída de defensores da pátria). Hoje, quem dá as cartas por lá é o Micheletti (foto grisalha)!!!

Resumindo, é tudo "farinha do mesmo saco"!
E o Brasil se metendo nisso do lado do Hugo Chaves... ai meu saquinho!

2 comentários:

Borboletas nos Olhos disse...

E além do mais uma ruma de vascaíno estragou tudo e somos apenas vice campeões mundiais sub-20...ai não era sobre isso não?

Contra a Maré disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk não mas serve!!! kkkkkkkkkkk